Ricardo Santin, aves e suínos: mais um ano de superação

Ricardo Santin, aves e suínos: mais um ano de superação

O ano de 2021 iniciou-se com um ambiente de fortes incertezas, especialmente no campo econômico. O cenário de desafios, agravado pela pandemia da Covid-19, afetou todos os setores produtivos e gerou uma série de adversidades. Porém, mesmo diante de um mercado altamente competitivo, dois setores brasileiros superaram desafios como a escassez de oferta de insumos e a forte pressão sobre os custos de produção: a avicultura e a suinocultura.

Pouco visível à parte da população, a produção de alimentos enfrentou de frente – e em pé – as dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19 para não deixar faltar comida na mesa dos brasileiros. E os impactos da maior crise sanitária da história recente não se resumem apenas à preservação do abastecimento do mercado — que, por si só, já é extremamente relevante. Os investimentos para a proteção de colaboradores e de clientes e os esforços para manter o equilíbrio entre as exportações e o consumo interno se somaram.

Aliada à pandemia, os patamares históricos registrados nos preços do milho e do farelo de soja – dois insumos fundamentais para a cadeia produtiva –, além dos plásticos, papelão para embalagem, diesel e energia elétrica, pressionaram a produção e chegaram ao campo. A influência do dólar elevado também atingiu em cheio os custos internacionais.

Muitos dos reflexos desta instabilidade, porém, foram minimizados pela superação. E, claro, pela ação enérgica das entidades setoriais representativas – em especial da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e as entidades estaduais da avicultura e da suinocultura –, de empresas e do governo federal, com as medidas emergenciais sociais. A prova disso está na produtividade e na quebra de recordes históricos que devemos conferir esta semana, em nossa coletiva de fim de ano.

A oferta no mercado interno e a superação de desafios – com recordes históricos de produção, consumo e exportações – deve-se muito ao aprimoramento e à força de uma cadeia especializada. O espaço nas gôndolas foi ampliado, mesmo em meio ao momento mais desafiador da história recente. Além de sobreviverem à crise, a avicultura e a suinocultura encerram o ano com geração de emprego e renda no Brasil. E produtos de alta qualidade na mesa das famílias.

Ricardo Santin é Presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Compartilhe:

Postagens relacionadas

Assine agora nossa newsletter

Mantenha-se informado sobre as últimas notícias, tendências e eventos da Suinocultura!
plugins premium WordPress
Enviar uma mensagem
1
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?